segunda-feira, maio 16, 2005

Assembleia - Poema de Vasco de Lima Couto - Lisboa, 11 de Junho de 1979

ASSEMBLEIA

A esquerda gritou:
é um vendido.

O centro disse:
não nos interessa.

E a direita exclamou:
é um comprado.

E no entanto,
não sou mais
que um homem sentado
a ver a festa
que resta.

2 comentários:

Gustavo Almeida disse...

Era de todos e de nenhum.

Houvesse coragem para se ser mais autêntico, como este Senhor através das palavras partilhadas, e, por certo, este país estaria mais desenvolvido social e intelectualmente.

Bem é preciso...

Pedro disse...

A Mãe agradece, relembrado pela enésima vez a perda do poeta, mas sobretudo do melhor declamador de sempre.