segunda-feira, fevereiro 02, 2009

Nadal vence Open da Austrália e Federer não consegue igualar Sampras


Durante 11 anos, Roger Federer sempre passou uma imagem de sobriedade. Por norma, é pouco expansivo nas vitórias e, quando perde, sempre escondeu com elegância a desilusão. Nos jogos, era com o seu ténis que respondia a maus momentos. As emoções eram para ser controladas. Porém, ontem, caiu a máscara do controlo emocional. Tudo porque estava a um jogo de igualar o seu ídolo Pete Sampras, com 14 Grand Slam, e falhou. As lágrimas, muitas lágrimas, que deixou cair pela face, deixaram a arena do Open da Austrália num silêncio perturbador, só rompido por uns merecidos aplausos, para o que Rafael Nadal contribuiu, ao dirigir-se ao rival que acabava de derrotar por 7-5, 3-6, 7-6 (7-3), 3-6 e 6-2: "Não te esqueças que és um dos melhores tenistas da história." E mais lágrimas caíram pelo rosto de Federer.

Na Austrália, esperava-se que fosse feita história: consagrar definitivamente o suíço. No entanto, foi Nadal quem a escreveu, ao tornar-se no primeiro espanhol a vencer um Grand Slam em piso duro. Porém, o morder do troféu, como sempre faz, perdeu impacto, quando, perto de si, Federer continuava a chorar.

Como derrotado, o suíço foi o primeiro a falar, ou, pelo menos, a tentar. "Deus, isto está a matar-me", disse. No court e nas bancadas a surpresa era grande. Ninguém esperava tal demonstração de emoção em público. "Este rapaz merece", salientou ainda Federer, dirigindo-se ao espanhol. Até Nadal, cabisbaixo, pareceu sem saber o que fazer. Incitado a falar, começou por um tímido "olá" e deixou um pedido: "Roger, sinto muito [pela derrota]. Espero jogar muitas mais vezes contra ti."

Aos 27 anos, Federer parou de esconder a frustração de estar a ser ultrapassado pela nova vaga de tenistas. Nadal é o seu grande rival. É ele quem lhe tem tirado a oportunidade de vencer Roland-Garros - que o suíço nunca ganhou -, foi o espanhol quem acabou com o domínio de Federer em Wimbledon e agora também já conquista Grand Slam no piso duro. A Nadal só falta o US Open e tem 22 anos. E não esquecer, foi Nadal quem acabou com um reinado de quatro anos de Federer no topo do ranking. O suíço começou 2009 com o objectivo de comprovar que 2008 não marcou o princípio do fim da carreira, mas na Austrália acabou em desespero.
Diário de Notícias, 02 de Fevereiro de 2009

1 comentário:

Susana disse...

Interessante este teu gosto pelo desporto...