terça-feira, fevereiro 26, 2008

Simone de Oliveira – 50 Anos de Carreira


O Coliseu de Lisboa encheu-se ontem pelas 21h e 30m para comemorar os 50 anos de carreira de Simone de Oliveira, num espectáculo memorável.

Ao longo de mais de duas horas desfilaram pelo palco do Coliseu grande parte das músicas emblemáticas da carreira de Simone, escritas pelos maiores poetas que este país teve e cantadas por colegas e amigos da homenageada.

Anabela (comovente), Lara Li (surpreendente), Marisa (a que canta, a dos Donna Maria, não a outra), Pedro Abrunhosa (em dois momentos dolorosos e desenquadrados dos restantes convidados), Pedro Moutinho (emotivo), Dulce Pontes (momentos únicos), Wanda Stuart (em grande forma), Henrique Feist (no seu melhor) e Lúcia Moniz (descontraída).

Mas a estrela da noite foram os membros que compunham o grupo Gospel, criando uma atmosfera absolutamente fascinante e eufórica, com várias brilhantes perfomances (coube-lhes a interpretação do tema central de toda a carreira de Simone – Desfolhada à Portuguesa).

A acompanhar os interpretes a maravilhosa Orquestra Metropolitana de Lisboa, sob a batuta de Nuno Feist.

A concepção do espectáculo estava de se lhe tirar o chapéu. Percorreu-se o Portugal dos 50 anos de carreira de Simone, num cenário Beckettiano, com uma excelente concepção cenográfica e design de luzes. De cada um dos lados do palco, enormes telões mostravam-nos imagens de alguns acontecimentos da carreira de Simone ou da vida politica e social do país. A maior gargalhada da noite foi para um discurso de Marcello Caetano – discurso, esse, que podia perfeitamente ter sido feito ontem, - numa ousadia política bastante grande, uma vez que estavam presentes o Presidente da República Portuguesa e sua comitiva, o ex-Presidente da República Ramalho Eanes e outros membros do actual e anterior governo.

No final do espectáculo – em quase encore – surge Simone de Oliveira. De imediato a casa se levantou para uma comovente, merecida e longa salva de palmas.

E Simone cantou de uma forma que não se consegue descrever porque ficará sempre àquem da realidade. Não se percebe como, nem porquê. De onde vem aquela voz, aquela postura, aquela tão falada força que a agiganta para lá do que é humanamente possível?

Os temas cantados por Simone souberam a pouco. Foram apenas cinco. Mas afinal, que diabo, ela estava ali para comemorar não para trabalhar... mas, repito, souberam a pouco.

Um grande momento, já perto do final, foi quando Madalena Iglésias entrou em palco para cantar com Simone. A sala não se conteve e novamente o público, de pé, aplaudiu as duas grandes “rivais”, pois os 50 anos de carreira de Simone são, em certa medida, os 50 anos de carreira de Madalena.

Para fechar a noite em puro extâse, António Costa, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, entrega a Simone a Medalha de Ouro da Cidade. Afinal, era a ela que Ary dos Santos chamava de “Tejo” e foi ela quem cantou “Esta Lisboa que eu Amo”.

O saldo do espectáculo foi mais do que positivo. Emotivo, surpreendente e, acima de tudo, foi feita justiça a uma grande mulher do panorama artístico, social e, arrisco mesmo a dizer político, de Portugal. Simone de Oliveira teve casa cheia e mereceu-o.

Agora, resta-nos esperar por mais concertos, um DVD ou um CD (quem sabe?) e a estreia, para breve, de Vila Faia.

Parabéns a todos quantos estiveram envolvidos no espectáculo – desde a concepção, aos textos, passando pelo programa (do mais original que eu já vi – grande trabalho), bailarinos e músicos. Uma noite para gravar na memória e lembrar sempre.

10 comentários:

Luis disse...

Infelizmente não pude estar presente, mas o seu texto levou-me até lá e chegou a comover-me.
Obrigado.

Arnaldoooooo disse...

O teu texto é realmente a prova do que se passou na naquele palco. Tão bom como o espectáculo.

E fica a questão no ar: porquê Pedro Abrunhosa?

Luís Galego disse...

tambem passei pelo Coliseu, tambem escrevi sobre Simone, tambem me toca e muito aquela mulher...

Anónimo disse...

Disseste tudo! Foi mesmo emocionante. A Simone cantou com a garra que se lhe conhece. Aquelas imagens do Marcello Caetano podiam ter sido ditas na véspera pelo Sócrates e toda a gente na sala pensou no mesmo. E o Abrunhosa...porquê? o coro e a orquestra eram fantásticos e finalmente caiu um mito! A Madalena Iglésias e a Simone não só se falam como demonstram enerosidade.
fantástico. Esperemos que o espectáculo não passe na tv às três da manhã!
Teresa

Filipe de Araújo disse...

Eu estive lá e foi realmente uma coisa de ficar emocionado.

As lágrimas apareceram nos meus e nos olhos de várias pessoas que estavam à minha volta.

Espero que visites o meu blog berevemente pois também eu farei um breve texto sobre esta tão bonita homenagem.

Um abraço

Miguel Moura disse...

Parabéns pelo Blog e pela "companhia" que faz aos artistas portugueses.

viva SIMONE VIVA!

Do melhor que Portugal continua a ter...

Uma chamada à "boca de cena" para LARA LI... pena não ser um regresso... Força...

E vem ai o espetáculo do Casino da Figueira, com Simone, Lara Li, António Girão e apresentação de Vitor de Sousa...
Dia 21/03/2008 - feriado.

Anónimo disse...

Podem ouvir a entrevista antes do concerto. Uma semana antes.
Se estiveram lá (no Coliseu) vai saber bem.
Nos ultimos anos, a Simone teve a sua melhor interpretação. Os outros tb., foi bonito.
http://www.rr.pt/PopUpMedia.Aspx?FileTypeId=1&FileId=403633&contentid=237328

nudista@sapo.pt

Luis disse...

Alguém saberá quando é que RTP transmitirá este espectáculo?

Danies disse...

O Concerto parece que está agendado passar na RTP dia 23 de Março (Domingo de Páscoa), pelas 21.30.

aspegic disse...

MAS DESDE QUANDO É QUE A D. SIMONE É UMA ANTIFASCISTA??????? QUE EU SAIBA ELA NÃO PASSA DE UMA CANTORA LIGEIRA - NÃO COM 50 ANOS DE CARREIRA, POIS PERDEU A VOZ E DEIXOU DE CANTAR - ALINHADA NO NACIONAL CANÇONETISMO DE OUTROS TEMPOS AO LADO DE TANTO OUTROS... NÃO ENTENDO PORQUÊ A RTP LHE DÁ TANTA COBERTURA E TEMPO DE ANTENA? VILA FAIA PORQUÊ A D. SIMONE? COM TANTA ACTRIZ DE GABARITO, POR EXEMPLO A LOURDES NORBERTO E ESCOLHEM A D. SIMONE PARA UM PAPEL DE ACTRIZ? SERÁ QUE A RTP DEU TANTA IMPORTÂNCIA AO ESPECTÁCULO DO COLISEU POR VIR A MADALENA IGLÉSIAS? É POSSÍVEL. E DEPOIS A D. SIMONE TRATOU-A COM INDIFERENÇA NO PALCO, NÃO DEVE TER VISTO O COLISEU EM PESO DE PÉ A APLAUDIR A MADALENA IGLÉSIAS. E QUANTO À POLÍTICA... NÃO É POLITICA? PORRA... PASSA-LHES A MÃO PELO PELO A TODOS. JÁ ANDA LOUCA PARA TER UMA NOVA ORDEM DO ESTADO PORTUGUÊS, E CERTAMENTE ATÉ VAI TER JÁ NO PRÓXIMO DIA 10 DE JUNHO. E O QUE TEM TRABALHADO PARA IR PARA O PANTEÃO! SABE MUITO BEM MEXER-SE. ELA QUE NÃO DEFENDE OS POBREZINHOS MAS AS PESSOAS. QUE TAL COMEÇAR PELA SUA PRÓPRIA FAMÍLIA?
num país chamado simone. MULHER SIMPLES, NADA NADA PRETENCIOSA. COMO DIRIA UM GRANDE SENHOR DA RTP " E ESTA HEIN!".