sábado, dezembro 09, 2006

A minha árvore é maior que a tua

"Todos os departamentos de sociologia do país deveriam interromper a sua actividade corrente para se debruçarem sobre esse estranho fenómeno chamado "a maior árvore de Natal da Europa". Lamentavelmente, e por mais voltas que dê à cabeça, não consigo imaginar por que razão milhares de pessoas esgotam a sua paciência em intermináveis filas de trânsito para ver um cone metálico gigante a brilhar. Que um bosquímano do Kalahari mude a sua vida por causa de uma garrafa de Coca-Cola, como no velho filme, eu ainda consigo compreender, mas que tão grande turba se arraste por causa de 75 metros de lâmpadas é algo que ultrapassa o meu pobre entendimento. Mistérios da condição humana. A sociologia, a antropologia ou a zoologia que me expliquem o prodígio, se faz favor.

É que, para tornar a história ainda mais bizarra, o manifesto sucesso da iniciativa patrocinada pelo Millenium bcp provocou uma onda de ciumeira nos outros bancos, que agora procuram pôr de pé o seu megaevento natalício, se possível ainda mais mega do que a mega-árvore do bcp. No ano passado, o BES prometeu fazer nevar em Lisboa, mas não conseguiu mais que sujar com uns flocos pífios os passeios do Marquês de Pombal. Este ano é o "Natal Monumental Santander Totta" (belo nome), que conduziu à instalação de uma tenda gigante na Praça da Figueira, onde até se pode largar os filhos enquanto se vai às compras.

Resumindo, temos duas das três mais importantes praças de Lisboa ocupadas com publicidade à banca, na forma de supostas homenagens ao espírito natalício. Não sei do que é que os outros bancos estão à espera. O BPI poderia perfeitamente construir o maior trenó do mundo, com renas à proporção, e colocá-lo no meio do Rossio, que está um bocado despido; e a Caixa Geral de Depósitos deveria investir num presépio em tamanho XXL para a Praça do Município, quem sabe aproveitando parte do edifício da câmara para estábulo. Porque não? A dívida que Santana deixou é grande. Talvez se conseguisse um abatimento nos juros."

João Miguel Tavares, Diário de Noticias - 09 de Dezembro de 2006

1 comentário:

pedro disse...

O presépio XXL parece-me mto bem!