segunda-feira, novembro 13, 2006



Sexta-Feira, dia 10 de Novembro, a convite do meu amigo Duarte, fui assistir à estreia de Conversas de Camarim - com Simone de Oliveira, Vitor de Sousa e Nuno Feist, no Jardim de Inverno do Teatro Municipal de São Luiz.
Foi um espectáculo muito bom, onde mais uma vez pude confirmar a excelência de Simone em palco, quer em postura quer em voz. A sensualidade e a profunda sensibilidade passada por Simone ao cantar são extraordinárias, sendo impossivel não nos comover.
O espectáculo inicia-se com "Visita de Camarim" e termina com "Palavras Gastas". O expoente máximo, para mim, foi quando Simone cantou "Rosa e a Noite", uma extraordinária música com poema de Vasco de Lima Couto.
No entanto, e apesar de achar que este é um espectáculo imprescindivel, não deixa de ter os seus "senãos"... tem Vitor de Sousa a mais. O equilibrio entre aquilo que foi a participação de Simone e aquilo que é a participação de Vitor não é o mais correcto.
Todos sabemos que Simone de Oliveira é uma contadora de histórias interessantíssima e com imensa piada. Pois da boca dela não se ouviu uma única... E o Vitor fala, fala, declama, declama, e fala, fala, declama, Simone canta, e Vitor fala, fala, declama, declama, declama, fala, fala, declama, fala, Simone canta, canta, e Vitor fala, fala, fala... é mais ou menos assim a coisa.

Acho que talvez deveriam ter chamado de Monólogos de Camarim com Vitor de Sousa e a participação generosa de Simone de Oliveira.
E atenção: eu não tenho rigosamente nada contra o Vitor de Sousa. Reconheço que tem o seu relativo valor. Mas temos de ser honesto e dizer que quem vai ver aquele espectáculo - 99,8% das pessoas - vão para ver e ouvir Simone de Oliveira, e não o Vitor de Sousa. E a sensação com que eu sai de lá foi: soube a muito pouco. Ela muito apagada - excepção feita quando canta, que aí dá tudo de uma forma espantosa - e o Vitor muito saliente.

Espero não estar a cometer nenhuma injustiça ao dizer estas coisas, que não é esse o propósito. É apenas uma opinião de alguém que esperava uma Simone mais interventiva na fala e durante o espectáculo.
Mas eu também acho que mesmo que Simone estivesse 4 horas em palco a falar e a cantar eu iria sempre dizer que sabe a pouco... porque Simone sabe sempre a pouco.
Eu ainda estou pasmo com a capacidade vocal, de graves limpos e claros, com que Simone está a cantar. Há muito tempo que não a ouvia cantar de uma forma tão certa, rigorosamente adequada à sua capacidade vocal neste momento. Simone tem, de facto, ainda muito para dar à música portuguesa e à historia do espectáculo em Portugal.

Já sabem que é só este mês de Novembro. É melhor irem já no próximo fim-de-semana. É no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz - aquele que fica nas traseiras do Teatro-Estúdio Mário Viegas - às 23.30 m. O preço dos bilhetes é de 15 € mas com alguns descontos que não vos sei dizer. Corram...

8 comentários:

Arnaldoooooo disse...

Obg

Inês disse...

O espectáculo está fantástico. Fui no Sábado. Também fiquei um bocadinho de pé atrás quando soube que teria a participaçãp do Vítor de Sousa (não é dos artistas que mais aprecie). Mas tal como dizes, Daniel, fui lá pela nossa Simone. É verdade ela canta muito (e muito bem) e o Vítor declama e fala muito. No final, até comentei com a pessoa que me acompanhou, que estava à espera de não ter gostado de o ouvir. Mas, não.... Gostei!!
É verdade, seria mais interessante se ele desse um pouco a palavra à Simone e a deixa-se contar algumas das histórias, mas pronto.
Quem ainda não foi, vá porque vale a pena. É um serão diferente e muito bem passado....

Duarte Veiga disse...

Vou este sábado! Fiquei triste de saber que a Simone fala tão pouco mas mesmo assim... eu vou! :D Por ela...! ;)

nuno vasconcelos disse...

Apesar da assinatura deste comentário poder confundir alguém, eu sou o Duarte que acompanhou o Daniel ao espectáculo Conversas de Camarim, com Simone de Oliveira, Vitor de Sousa e Nuno Feist. Concordo contigo quando dizes: "Todos sabemos que Simone de Oliveira é uma contadora de histórias interessantíssima e com imensa piada", é uma grande verdade e eu senti falta das histórias dela e contatdas por ela.
Também condordo com a ideia de que parece haver Vitor de Sousa a mais... só não sei se concordo com a tua quantificação, mas de facto não há equilíbrio. Quanto ao facto da senhora estar a cantar como à muito tempo não se ouvia, é uma grande verdade, e por isso mesmo vale mesmo a pena passar pelo Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal até dia 25 de Novembro (sextas e sábados às 23h30)

Anónimo disse...

Olá, tb , já lá estive...e concordo em pleno!
Resta-nos a esperança q ele, o Vitor leia este blog!
Mas a n perder...mesmo com pouco protagonismo, menos do q o esperado, vale a pena.

Duarte Veiga disse...

Já fui ver! Adoreeei! Quem conta mais histórias realmente é o Vitor de Sousa mas cada vez que a garganta daquela Senhora se solta para lançar uma cantiga, dá por tudo o que o outro diz! Vou fazer um post em relação ao espectáculo, depois passem lá ;)

Duarte Veiga disse...

olha... ensinas-me como se poe uma foto no blog? Abraço

Duarte Veiga disse...

Obrigado na mesma. Sim, consegui chegar lá sozinho. Passa lá. Fiz um post sobre as "Conversas de Camarim" =)