quarta-feira, outubro 04, 2006

TEATRO

Nenhuma arte tem de falar para todos a não ser o teatro.
Grandes e pequenos, instruídos e analfabetos, sábios e ignorantes, no teatro todos são Um, e por conseguinte só o que interessa o Único pode ser agradável a todos.
A origem da palavra teatro refere-se à disposição em hemiciclo dos lugares dos espectadores, de maneira que de qualquer lado cada um possa seguir a cerimónia pública.
Por isso o teatro não pode desculpar-se com nenhuma espécie de ignorância, seja a que moleste os sábios, seja a que não ensine os ignorantes.
Não é apenas a arte dramática que pode ser considerada como teatro. As primeiras cerimónias públicas de teatro eram ofícios religiosos e só depois começou a fazer-se a diferença entre o templo sagrado e a comédia profana.
Estimando a origem desta palavra, ficamos sabendo que toda a arte ou qualquer outra linguagem que passa do particular para o geral, faz imediatamente teatro.
Que cada um tenha uma arte que é a maneira de apurar o seu próprio gosto, a ninguém compete julgá-la; mas quando destine ao público a sua arte, desde esse momento é o publico a servir-se e o artista quem serve.

Almada Negreiros

2 comentários:

pedro disse...

Nada de mais verdadeiro e correcto. Infelizmente, não é nada disso que acontece na grnade maioria dos palcos portugueses.

Luís disse...

Belo texto!

Na verdade o Teatro é uma troca.

Entre o público e o dramaturgo, via actores.

Haja talento para que se tenha algo de importante, de belo, de útil ou interessante para dar.

Admiro muito e respeito quem tem a generosidade de se desprender todas as noites de si próprio, criando e recriando-se para que a mensagem seja bem conseguida.

Sinceramente, apesar de não termos um teatro muito estimulante, como penso que quer dizer o comentário anterior, também não temos um público muito atento, muito interessado, muito empenhado num bom espectáculo de Teatro.

Confesso que, ainda por cima, tenho pouca esperança também que isso venha a mudar a curto prazo.

Enquanto alguns actores e autores estiverem a colaborar na "educação" o público mais jovem através de Morangos e Floribelas, as coisas não irão decerto melhorar!!!

Um abraço
Luís