segunda-feira, maio 30, 2005

Visitando Mr. Green - Teatro Tivoli


VistandoMrGreen
Ontem assisti a mais um bom momento de teatro protagonizado por Paul Autran e Dan Stulbach, em "Visitando Mr. Green", que está em cena no Teatro Tivoli em Lisboa. O texto é do norte-americano Jeff Baron.
Após "Variações Enigmáticas" do francês Eric-Emmanuel Schimitt, apresentada no teatro S. Luiz, em Lisboa, no final do ano de 2002, "Visitando Mr. Green" marca o reencontro de Paul Autran nos palcos portugueses.
A história é simples, embora o conteúdo seja "pesado", não podendo ser visto com leviandade.
Paul Autran e Dan Stulbach são dois judeus em Nova Iorque. O primeiro, já velhinho, é viúvo e aparentemente só no mundo. O segundo, é um executivo com sucesso, homossexual. Este por pouco não atropela o primeiro. O Juiz dá ordem que seja obrigado, durante 6 meses, a visitar o judeu velhinho todas as semanas.
A história cresce, quer em nivel dramático quer de interesse, quando o ancião sabe que o outro é homossexual, e quando o outro descobre que o ancião afinal tem uma filha.
Ao longo de toda a peça são nos postas questões pertinentes e o choque de gerações é inevitável.
Extraordinário é o paralelismo que a personagem protagonizada por Dan Stulbach faz entre as perseguições desde há muito feitas a judeus com as perseguições desde há muito feitas a homossexuais. Tudo isto tratado com seriedade, verdade e, acima de tudo, realidade.
A personagem de Paul Autran, quanto a mim, é a que tem uma dose de veracidade maior, especialmente no modo como vai tentando perceber e encaixar a vida sexual do judeu mais novo. Demonstra como é dificil às gerações mais velhas perceberem e aceitarem determinadas realidades, principalmente quando estas vão, aparentemente, contra a sua religião.
É uma peça, sem sombra de dúvida, a ver e um texto a ler ou escutar com toda a atenção.
Paul Autran não envelhece nem perde a capacidade interpretativa e Dan Stulbach uma promessa a não deixar escapar.
Uma nota negativa para o preço dos bilhetes, que são absurdos. As escolhas vão apenas dos 28 euros (um roubo) para a primeira plateia aos 15 euros (outro roubo) para as "galinheiras". Não que a representação e o texto não valham a pena. Antes pelo contrário. São óptimos. Mas para um elenco de duas pessoas e para aquilo a que é tido como normal para os preços em teatro em Portugal, é muito exagerado.
Mas não deixo de achar engraçado que brasileiros e portugueses estão nos palcos como estão na vida.
A primeira vez que tive esta sensação foi quando assisti à representação de "Madame", com Eunice Munoz e Eva Wilma, em que a primeira fazia a heroina de Eça de Queiróz - Maria Eduarda - enquanto a segunda fazia a heroina de Machado de Assis - Capitolina.
Enquanto que os portugueses, em cena, me parecem mais "pesados", monoliticos, arrastando-se no palco como quem carrega o mundo às costas (como o são na vida "real"), os brasileiros são de uma leveza que parecem que pairam sob as tábuas, sem que isso traga prejuizo algum à representação.
Até nos palcos a diferença entre o nosso Fado e o Samba deles se nota.
Nota: No final da representação Dan Stulbach anunciou que, devido ao sucesso da peça em Portugal, esta iria ficar mais uma semana. Aproveite.

2 comentários:

Gustavo Almeida disse...

Provavelmente um bom momento de teatro e de relance pela nossa sociedade.

Quanto ao desempenho de actores brasileiros e portugueses, a influência que uns poderão ter nos outros é fundamental.

Aproveito para fazer publicidade à Peça «O Senhor das Flores» que será mais uma vez representada em palcos nacionais, desta feita no próximo sábado, dia 4 de Junho, no Auditório do Centro de Promoção Social de Tabuaço. A não perder o desempenho de Beto Coville e Jonas Bloch, nesta peça do autor Vinicius Marquez, cuja encenação está nas mãos de Caco Ciocler.

Aqui está um bom motivo para ir ver bom teatro à «província»..., no coração do Douro.

Mais sobre a peça de teatro: http://senhordasflores.com/

Gustavo Almeida disse...

Olá mais uma vez. Não me quero tornar extenso na divulgação da peça «O Senhor das Flores», mas já está a ser feita a sua divulgação no site da Câmara de Tabuaço: http://www.cm-tabuaco.pt/

Já agora, e demonstrando que não há coincidências, acabei, há pouco, de comprar bilhete na FNAC para a peça «Visitando Mr. Green». A peça estará em cena até dia 5 de Junho, no Tivoli.

Danie, obrigado pela dica. Uma amiga minha demonstrou que gostaria de vê-la, sem que eu tivesse dito alguma coisa, e levando-nos a indagar se haveria billhetes...e havia... Merci