terça-feira, maio 24, 2005

Aldina Duarte - CulturGest dia 3 de Junho de 2005


Aldina Duarte
Aldina Duarte vai, finalmente, dar um grande concerto numa sala da capital. É dia 3 de Junho de 2005 no Grande Auditório da Culturgest.
Aldina é, a meu ver e juntamente com Kátia Guerreiro, a grande voz do fado. Tem o povo português na Voz e no Olhar, em toda a sua ingenuidade e transparência.
Jamais poderei esquecer a fantástica entrevista que Aldina Duarte deu a Ana Sousa Dias, na RTP2, que muito deu que falar, especialmente na escrita de Eduardo Prado Coelho.
Aldina Duarte não precisa de artifícios ou "efeitos por fora" para se impôr. Não há penteados do Eduardo Beauté ou fatos pirosos do João Rôlo. Não precisou de aparecer como uma das carpideiras na morte de Amália Rodrigues para voltar a ser falado (tipo João Braga, entendem?!?).
Bastam-lhe apenas os xailes feitos por Argentina Santos e a sua voz.
Aqui ficam os links para ouvirem, por completo, a entrevista dada por esta fadista à TSF, no programa Pessoal e... Transmissível, Carlos Vaz Marques. E ainda se ouvem 3 ou 4 fados cantados no estúdio.
(ATENÇÃO: Para ouvirem a entrevista e continuarem a navegar no blog abram os seguintes links carregando no botão do lado direito do rato e, de seguida, em "Abrir numa nova janela".)
Querem um conselho? Corram para arranjar bilhete. Custa apenas 5 euros para os menores de 30 anos e 15 euros os restantes.

5 comentários:

du disse...

Também gostei bastante da entrevista dela para a Ana Sousa Dias. Uma pessoa fantástica e uma voz incrível. Agora, é uma injustiça essa diferença no preço dos bilhetes!!

Gustavo Almeida disse...

Uma questão importante. E quem tem 30 anos? Paga 10 euros? (lol)

Já agora, obrigado pela dica, já a tinha ouvido cantar e tem um timbre muito interessante. Ah! É verdade... Também gosto de fado.

Enquanto trabalho gosto de ouvir música, variada, mas boa música. Os meus colegas é que me têm que aturar. No entanto, fado é proibido. Começam logo a gozar... (gostos não se discutem... mas...)

Pedro disse...

O que marca a diferença de Aldina Duarte perante os homens e mulheres de cultura no nosso país é a sua grande humildade e a sua despretensiosidade. Foi com essas duas qualidades, infelizmente esquecidas, que afirmou no programa de Ana Sousa Dias (que alguém me obriga a assistir...) considerar não ter tido ainda capacidade intelectual para ler as Memórias de Adriano.
Atitude digna de louvor quando sabemos que a intelectualidade portuguesa peca precisamente por defender aquilo que não compreende, como se fosse a fonte da Sabedoria e Cultura. É preciso que haja quem demonstre que a Cultura se constrói, possivelmente e na maior parte dos casos, tendo como base a transmissão dos sentimentos de cada ser humano.

Brava, Aldina!

Anónimo disse...

Eu também concordo que a diferença de preço dos bilhetes é absurdo, portanto, mas acima de tudo espero que a Culturgest encha com o Fado de Aldina Duarte que será sinal de evolução cultural... Aldina é nesta altura a última referência cultural verdadeiramente original quer como fadista quer com personalidade artistica e humana... Aldian lembra-nos que somos humanos e que temos direito à felicidade e á justiça social e a uma vida mais criativa e inteligente... qualidades que a humanidade está a esquecer e por isso esta´a adoecer vertiginosamente... Acabei de ouvi-la nas 1001 escolhas da Antena1 e na RR... é impresinante a nobreza e a cultura actual e antiga que esta mulher, esta autodidacta consagra em si... dá que pensar...

mikel disse...

gosto da aldina como poetisa e considero que tem muito sentimento a cantar, para mim ´so existem duas fadistas com carga emocional, aldina duarte e uma outra que possui uma bendita voz chamada yolanda de carvalho. sao mulheres que sentem o que cantam e no entanto o grande publico quase que as desconheçe, talvez pelo facto de serem mulheres inteligentes, e talentosas na poesia e no canto. o facto é que ambas me conseguem emocionar e pensar o quanto de mistico há no fado